Área do Cliente

Notícias

Sem receber reajuste salarial, rodoviários de Porto Alegre prometem entrar na justiça

Cinco empresas de ônibus de Porto Alegre devem pagar aos funcionários, nesta terça-feira o adiantamento salarial sem o reajuste de 11,81%, aprovado em fevereiro. A justificativa é a determinação judicial que cancelou o aumento da passagem.

Apesar disso, o Sindicato dos Rodoviários afasta a possibilidade de greve pelo menos por enquanto. O presidente, Adair da Silva, diz já ter assinado a procuração para o departamento jurídico da entidade ingressar com uma açãoo judicial junto ao Tribunal Regional do Trabalho ainda nesta terça-feira, quando deve se concretizar o pagamento com os valores de 2015, pedindo o cumprimento do dissídio.

A primeira medida que o sindicato vai tomar é judicial. Depois, se não tiver solução, sim (vai haver paralisação).

Ele destaca que “a briga” neste momento é entre empresas e prefeitura, e não envolve os trabalhadores.

“Um movimento antecipado prejudicaria os trabalhadores e os passageiros. Vamos fazer a coisa com a cabeça no lugar” diz.

Os delegados sindicais da Carris afirmam que há chances, mesmo que remotas, de os consórcios forçarem uma greve, não disponibilizando ônibus para cobradores e motoristas trabalharem. O delegado sindical Luis Afonso Martins atesta que o sentimento entre os trabalhadores é de não paralisar, pois uma greve hoje só atenderia os interesses dos patrões, mas levanta a possibilidade de as empresas “forçarem essa questão” o que seria ilegal.

“Isso abriria espaço para a encampação de todo o transporte público pela prefeitura”, opina.

O Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa) nega essa possibilidade. O advogado Alceu Machado ressalta que as empresas estão se esforçando para dar continuidade aos trabalhos mesmo sem o reajuste da tarifa, de R$ 3,25 para R$ 3,75.

“A ideia é se readequar a tarifa anterior” diz o advogado Alceu Machado.

As empresas que devem pagar o adiantamento sem o reajuste nessa terça são: Navegantes, Sopal e Nortran (antiga Conorte, que hoje forma consórcio Mob), VTC e Belém (do consórcio Viva Sul, antigo STS), segundo informações do Seopa. Outras empresas privadas pagam o adiantamento no dia 20.

A Carris, empresa pública, emitiu os contracheques com o reajuste.