Área do Cliente

Notícias

Chá da tarde virtual, maratona em casa, água e sabão para todos: veja ações criativas e solidárias em tempos de coronavírus

17/04/2020 08h08  Atualizado há 6 horas


Histórias trouxeram esperança em tempos de quarentena e pandemia — Foto: Arquivo pessoal
Histórias trouxeram esperança em tempos de quarentena e pandemia — Foto: Arquivo pessoal

Histórias trouxeram esperança em tempos de quarentena e pandemia — Foto: Arquivo pessoal

quarentena provocou uma mudança de hábitos e permitiu descobertas: uma nova vida começou a ganhar forma por conta do isolamento social para conter o novo coronavírus. As pessoas tentam encarar este período de um jeito menos dolorido. Tendo a tecnologia, a criatividade e a solidariedade como aliadas, elas encontram soluções para enfrentar a pandemia e as privações impostas pelas Covid-19.

G1 reúne aqui histórias dessa outra face da batalha contra o coronavírus.

Contato multimídia

Como enfrentar o isolamento sem um contato, sem um abraço, sem um beijo? A população se reinventou dia após dia.

casamento da Marília e do Renan aconteceu de um jeito diferente no Recife: a união foi oficializada em casa e por videoconferência. O desejo do casal de realizar um sonho e de trazer alegria em meio às restrições sociais causadas pela disseminação da Covid-19 foram o sinal verde para que os dois seguissem adiante.

“Inicialmente, tinham dito que a gente teria que aguardar até setembro, outubro. Mas depois perguntaram se a gente poderia fazer por videoconferência e a gente topou”, contou Renan.

–:–/–:–

Casamento é feito no Recife por videoconfererência devido à pandemia do novo coronavírus

Casamento é feito no Recife por videoconfererência devido à pandemia do novo coronavírus

O parabéns também ganhou uma nova cara. Dois irmãos de Ourinhos (SP) que nasceram no mesmo dia, mas em anos diferentes, comemoraram o tão esperado aniversário deste ano de uma forma diferente: por videochamada. Participaram da festa os pais da dupla, os irmãos, o namorado de outra irmã e uma prima.

“Comprei bolo, salgadinhos, refrigerante e coloquei um urso de pelúcia sentado comigo à mesa. Assim passamos a noite conversando com a família. Em Ourinhos, minha mãe também comprou bolo. Foi legal, mas também foi muito triste, pois foi o meu primeiro aniversário longe”, conta Michely.

Urso de pelúcia foi o convidado da festa de Michely, moradora de Ourinhos (SP) — Foto: Arquivo Pessoal/Michely Aquino
Urso de pelúcia foi o convidado da festa de Michely, moradora de Ourinhos (SP) — Foto: Arquivo Pessoal/Michely Aquino

Urso de pelúcia foi o convidado da festa de Michely, moradora de Ourinhos (SP) — Foto: Arquivo Pessoal/Michely Aquino

E um chá da tarde high-tech? Essa foi a grande inovação de alguns idosos que estavam acostumados a se encontrar no Rio – há mais de dez anos, eles se reúnem uma vez por mês para dançar, bater papo, dividir alegrias e angústias. E a mudança foi tão positiva, que agora os encontros virtuais são duas vezes na semana.

“Coloco a mesa, faço um chazinho, coloco um biscoito, me preparo porque eu tô com muita saudade das minhas amigas. […] Aí eu tô vendo minhas amigas, tô matando saudade, tô passando o tempo de uma maneira muito agradável, fico por dentro das fofocas e das atualidades”, contou aposentada Luiza Adão.

Idosos participam de chá virtual  — Foto: Reprodução/ TV Globo
Idosos participam de chá virtual  — Foto: Reprodução/ TV Globo

Idosos participam de chá virtual — Foto: Reprodução/ TV Globo

Um grupo de idosos de Ribeirão Preto (SP) também descobriu no aparelho celular uma forma de enfrentar o isolamento durante a pandemia. Agora eles mantêm contato, trocam dicas, compartilham fotos e até se organizaram para produzir máscaras e crochê, cada um na sua casa.

“Essa troca de mensagem faz com que a gente converse muito mais. Mais do que o habitual até”, diz dona Helia.

E até tem visita virtual em maternidade! Em Fortaleza, a ideia foi colocada em prática pela Maternidade-Escola Assis Chateaubriand (MEAC). Desde a interrupção das visitas por conta do risco de contágio do novo coronavírus, em 17 de março, o projeto Visita Virtual atende até 10 mães por dia, buscando aliviar a falta de contato.

Vanessa Moreira foi uma das mamãe contemplada com essa tecnologia para amenizar o distanciamento. Há um mês, ela não vê pessoalmente a pequena Layla Vitória, de dois meses, mas entende que a medida busca manter a filha em segurança. “É difícil porque eu passava o dia todo lá e eu não posso mais estar com ela nos momentos em que precisa. Só em vê-la na videochamada meu coração já acalmou um pouco.”

Na imagem, Layla Vitória, de dois meses, durante videochamada com a mãe Vanessa Moreira — Foto: Reprodução
Na imagem, Layla Vitória, de dois meses, durante videochamada com a mãe Vanessa Moreira — Foto: Reprodução

Na imagem, Layla Vitória, de dois meses, durante videochamada com a mãe Vanessa Moreira — Foto: Reprodução

Lava uma mão, lava a outra…

Água e sabão são itens essenciais para diminuir o risco de contágio pelo coronavírus. E tem muita iniciativa bacana sendo colocada em prática pelo país:

Inspirado em grupo de voluntários, moradores de Sorocaba instalam kits de higiene em bairros da cidade. — Foto: Redes Sociais/Bendita Turma
Inspirado em grupo de voluntários, moradores de Sorocaba instalam kits de higiene em bairros da cidade. — Foto: Redes Sociais/Bendita Turma

Inspirado em grupo de voluntários, moradores de Sorocaba instalam kits de higiene em bairros da cidade. — Foto: Redes Sociais/Bendita Turma

Um, dois, três, quatro

Como fazer exercícios sem poder sair de casa? Parar a atividade física de vez? Alternativas não faltaram nesses dias para as pessoas colocarem o corpo para se mexer.

Arrastar o sofá da sala para dançar em tempos de quarentena ganhou um outro significado para Sophia Heringer, de 11 anos. Foi rodopiando no espaço entre a TV e as poltronas de casa, em Belo Horizonte, que a bailarina conquistou o primeiro lugar no concurso mundial Dance-Off, promovido pela Royal Academy of Dance em Londres.

Sophia Heringer venceu concurso de balé sem sair de casa — Foto:  Juliana Heringer/Divulgação
Sophia Heringer venceu concurso de balé sem sair de casa — Foto:  Juliana Heringer/Divulgação

Sophia Heringer venceu concurso de balé sem sair de casa — Foto: Juliana Heringer/Divulgação

Divino Fidelis Monteiro, de 74 anos, resolveu manter rotina de atividade física com disposição. As caminhadas pelas ruas de Ouro Branco (MG), no entanto, foram substituídas por 100 voltas diárias em torno do carro.

“Se não faz nada, é melhor começar a fazer, e não precisa de muito espaço nem de aparelhagem cara, só de disposição e vontade de viver bem!”, relatou Divino.

–:–/–:–

Divino Fidelis Monteiro dá voltas em torno do carro para se exercitar

Divino Fidelis Monteiro dá voltas em torno do carro para se exercitar

Um jovem atleta de Santos (SP) adaptou os treinos para manter a forma física. Thomas Galindez, de 23 anos, pedalou mais de 1.013 quilômetros sem precisar sair da sala de seu apartamento.

“Nunca na minha vida eu achei que percorreria tudo isso, ainda mais dentro de casa. Mais do que o esforço físico, essa meta tem um esforço mental muito intenso, porque é muito pedalar cinco horas sem sair do lugar”, comemorouThomas.

–:–/–:–

Ciclista de Santos percorre distância entre São Paulo e Brasilia sem sair de casa

Ciclista de Santos percorre distância entre São Paulo e Brasilia sem sair de casa

Tempo, tempo, tempo

Com o isolamento, muitas pessoas estão realmente sentindo o tempo – seja ele demorado, seja ele corrido, seja ele entediante. Passar 24 horas, então, para alguns é um sacrifício. Mas, para outros, é diferente. E como viver esse tempo?

Algumas pessoas estão aproveitando o período para dar um lar temporário a animais resgatados que aguardam por uma adoção definitiva. É o caso de um casal de Curitiba que aproveitou e ganhou a companhia da Agnes para combater a ansiedade durante a quarentena.

“Nós estávamos há uma semana fechados em casa, muito abalados. Fizemos o lar temporário, a princípio para ajudar a Agnes, mas a verdade é que ela nos ajudou”, disse Ítalo.

Agnes ficou um mês na casa de Ítalo e da namorada, em Curitiba — Foto: Arquivo pessoal
Agnes ficou um mês na casa de Ítalo e da namorada, em Curitiba — Foto: Arquivo pessoal

Agnes ficou um mês na casa de Ítalo e da namorada, em Curitiba — Foto: Arquivo pessoal

Já Tereza Chaves de Freitas e Augustinho Celestino de Freitas moram sozinhos em São José dos Campos (SP) e estão sem contato com ninguém desde o começo da pandemia. E, para passar esse tempo, arrumaram três pilares diários.

“Quando bate a saudade, liga para os netos e filhos. E, para passar o tempo, a gente vai de palavra-cruzada e filmes. É o que a gente faz o dia todo”, contou Augustinho.

A artista plástica Thainá Rossati decidiu dedicar o tempo livre em Ribeirão Preto (SP) para homenagear os profissionais de saúde que têm atuado na linha de frente do combate ao novo coronavírus. Com sua habilidade e um aplicativo no tablet, ela começou a transformar fotos de médicos e enfermeiros em desenhos exclusivos.–:–/–:–

Artista dedica tempo e talento para agradecer profissionais que não param na pandemia

Artista dedica tempo e talento para agradecer profissionais que não param na pandemia

Delivery inusitado

Uma igreja em Tatuí (SP) tornou possível a vontade de uma mulher de se batizar mesmo durante a quarentena. Foi o chamado “batismo delivery”. Como Walkiria Aparecida Silva Costa não podia ir até a igreja, o pastor Vinicius Armele teve a ideia de levar o tanque batismal até a casa da moradora.

“Não era o que eu imaginava. Afinal, eu imaginava me batizar na igreja, com meus amigos todos juntos. Mas sei que todos estão juntos em comunhão, em oração, e isso é o que me deixa mais feliz”, afirmou Walkiria.–:–/–:–

Igreja leva tanque até a casa de moradora de Tatuí para batizar durante a quarentena

Igreja leva tanque até a casa de moradora de Tatuí para batizar durante a quarentena

Musicalidade

A música virou uma das marcas nesses tempos: seja como forma de acolhimento, seja como entretenimento, seja como homenagem. Tudo para deixar o tempo mais leve.

–:–/–:–

Pianista emociona com apresentação em condomínio

Pianista emociona com apresentação em condomínio

–:–/–:–

Guardas levam música para profissionais em unidade referência do Covid-19 em Macapá

Guardas levam música para profissionais em unidade referência do Covid-19 em Macapá

–:–/–:–

Banda do exército faz homenagem aos profissionais de saúde

Banda do exército faz homenagem aos profissionais de saúde

Estilo, atitude e necessidade

Lojas fechadas, produção parada, vários retalhos sobrando e uma necessidade surge no mercado: máscaras para combater o coronavírus. E não faltaram criatividade e solidariedade para fazer esse novo acessório tão importante nos dias atuais.

Mãe e filha de Poços de Caldas (MG) produziram uma máscara caseira com adaptação para pessoas surdas. O diferencial do equipamento de proteção é uma tela transparente na área da boca, o que permite a leitura labial.

Mulher criou máscara que permite leitura labial em Poços de Caldas (MG) — Foto: Arquivo pessoal
Mulher criou máscara que permite leitura labial em Poços de Caldas (MG) — Foto: Arquivo pessoal

Mulher criou máscara que permite leitura labial em Poços de Caldas (MG) — Foto: Arquivo pessoal

Já em Ponta Grossa (PR), um cartaz e tecidos coloridos cuidadosamente embrulhados e pendurados no portão de uma casa têm chamado a atenção da vizinhança e de quem por ali passa para pegar uma máscara. A artesã Cirineide Marochi disse que se sentiu chamada para ajudar e começou a confecção.

“Tem gente que aproveita da situação para cobrar preços exorbitantes. Tenho que usar essa habilidade que Deus me deu para ajudar as pessoas, é uma benção ajudar o próximo”, afirmou Cirineide.

Artesã pendurou cartaz com máscaras para doação na frente de casa — Foto: Cirineide Marochi/Arquivo Pessoal
Artesã pendurou cartaz com máscaras para doação na frente de casa — Foto: Cirineide Marochi/Arquivo Pessoal

Artesã pendurou cartaz com máscaras para doação na frente de casa — Foto: Cirineide Marochi/Arquivo Pessoal

O lado fashion também aflorou. Nas últimas semanas, estilistas ouvidos pelo G1 contaram que aumentou a procura por máscaras cheias de cor e estilo, usando tecidos e estampas de suas próprias marcas.

“É diferente você colocar uma cor, uma estampa que alegra. Acredito muito no poder das cores, elas têm um efeito de energia, no astral, com certeza”, destacou Lidiane Feline.

E, para promover uma conscientização bem criativa, as estátuas e os bustos de Guarapuava (PR) ganharam máscaras, assim como as esculturas de galos e galinhas na praia de Porto de Galinhas (PE).

Esculturas ganham máscaras em Porto de Galinhas — Foto: Reprodução/TV Globo
Esculturas ganham máscaras em Porto de Galinhas — Foto: Reprodução/TV Globo

Esculturas ganham máscaras em Porto de Galinhas — Foto: Reprodução/TV Globo

Carinho ativado

Na falta de um contato mais próximo, as atitudes passaram a ser grandes demonstrações do carinho neste momento.

Em reconhecimento aos profissionais que realizam serviços essenciais e não podem ficar parados, moradores em Rio Claro e Araras (SP) fizeram desenhos e cartinhas para mostrar a importância deles.

“Às vezes, a gente encontra nas sacolas de lixo esses agradecimento, as crianças vêm entregar para a gente, os moradores. Eles reconhecem o esforço da gente por que a gente tem mais risco de contaminação, para a gente é mais difícil, mas o serviço tem que ser feito”, afirmou o coletor Cristiano Marinho.

Mural de bilhetes e cartas de agradecimento aos coletores de lixo de Rio Claro.  — Foto: Reprodução EPTV
Mural de bilhetes e cartas de agradecimento aos coletores de lixo de Rio Claro.  — Foto: Reprodução EPTV

Mural de bilhetes e cartas de agradecimento aos coletores de lixo de Rio Claro. — Foto: Reprodução EPTV

Em Cabo Frio (RJ), surgiu uma “padaria solidária” que distribui pães e leite para moradores de diversos bairros da cidade que estão com dificuldades financeiras devido à pandemia. O projeto começou no início do mês de abril e já atendeu mais de mil pessoas. Cada família cadastrada ganha seis pães e um litro de leite.

“Eu estou fazendo a minha parte. A gente não tem ideia do que as pessoas estão sofrendo. Eu não faço mais do que a minha obrigação e fico feliz em poder ajudar. Nós somos o que fazemos pelos outros”, declarou Renato Marins.

‘Padaria Solidária’ distribui pães e leite para a população durante a quarentena  — Foto: Arquivo pessoal
‘Padaria Solidária’ distribui pães e leite para a população durante a quarentena  — Foto: Arquivo pessoal

‘Padaria Solidária’ distribui pães e leite para a população durante a quarentena — Foto: Arquivo pessoal

Sorriso estampado

Alguns profissionais de saúde começaram a usar fotos de seus próprios rostos em seus aventais para que possam ser identificados – o objetivo é humanizar o atendimento, já que a equipe fica coberta por máscaras e equipamentos de proteção. E o sorriso estampado na cara foi parar no peito!

Em Campinas, o diretor do Hospital Madre Theodora disse que a aceitação foi brilhante. “O paciente se sente acolhido. Ninguém quer ser tratado por um robô, e todos esses equipamentos tiram a expressão facial, tiram o contato humano da relação”, afirmou José Emílio Bueno.

Profissionais de saúde usam fotos na roupa para atender pacientes em Campinas (SP) — Foto: Reprodução/EPTV
Profissionais de saúde usam fotos na roupa para atender pacientes em Campinas (SP) — Foto: Reprodução/EPTV

Profissionais de saúde usam fotos na roupa para atender pacientes em Campinas (SP) — Foto: Reprodução/EPTV

A estratégia se repetiu em Curitiba. Por lá, os profissionais do Hospital do Trabalhador também colaram fotos para atender pacientes.

“Alguns pacientes tinham comentado que não conseguiam reconhecer as pessoas, outros diziam que sentiam falta de um sorriso.[…] É uma forma da gente colocar um ar mais suave no tratamento com os pacientes”, afirmou o coordenador de enfermagem da equipe, Kessler Koetzler.

Equipe da UTI do Hospital do Trabalhador, em Curitiba, passou a usar fotos penduradas nos aventais. — Foto: Divulgação/Sesa
Equipe da UTI do Hospital do Trabalhador, em Curitiba, passou a usar fotos penduradas nos aventais. — Foto: Divulgação/Sesa

Equipe da UTI do Hospital do Trabalhador, em Curitiba, passou a usar fotos penduradas nos aventais. — Foto: Divulgação/Sesa

Palmas

Palmas para agradecer, para exaltar, para festejar. A semana teve muitas palmas pelo Brasil para comemorar a vitória contra Covid-19.

–:–/–:–

Técnica de enfermagem recebe alta com comemoração após contrair Covid-19

Técnica de enfermagem recebe alta com comemoração após contrair Covid-19

–:–/–:–

Paciente internado com Covid-19 recebe alta e deixa hospital com aplausos

Paciente internado com Covid-19 recebe alta e deixa hospital com aplausos

00:00/00:48

Equipe médica faz homenagem para casal em Santos (SP)

Equipe médica faz homenagem para casal em Santos (SP)

00:00/01:08

Médico recebe alta ao som de violino e aplausos após se recuperar da Covid-19 em Birigui

Médico recebe alta ao som de violino e aplausos após se recuperar da Covid-19 em Birigui

00:00/00:53

Pacientes curados de coronavírus deixam hospitais em Guaratinguetá

Pacientes curados de coronavírus deixam hospitais em Guaratinguetá

–:–/–:–

Enfermeira é homenageada na saída de hospital, após se recuperar de coronavírus

Enfermeira é homenageada na saída de hospital, após se recuperar de coronavírus